RSS

Arquivo mensal: abril 2013

Mudanças e a imutabilidade

Um esclarecimento para quem ler esse texto: Não sou formado em psicologia, tampouco filosofia; o que direi aqui é minha opinião sobre nós seres humanos e a filosofia de vida em sociedade.

Desde o nascimento até nossas mortes temos uma constante: a Mudança.

As nossas vidas estão cheias de mudanças o tempo todo.

Quase tudo em nossas vidas muda, ambições, comportamento, relações, o mundo ao seu redor e muitas coisas que nem ao menos observamos estão mudando.

Cheguei a conclusão de que apesar de comportamentos mudarem, uma coisa não muda nunca, e essa coisa é nossa essência, nosso caráter.

Pessoas tímidas podem deixar a timidez de lado, pessoas humildes podem se transformar em crápulas uma vez que conseguem poder, pessoas brutas (ou duras, secas) podem se tornar românticas com corações de manteiga.

Mas é importante lembrar que muitas dessas mudanças são apenas temporárias ou são máscaras caindo e que revelam a personalidade real das pessoas.

Não tenho muita experiência de vida apesar de estar com quase trinta anos nas costas, mas uma coisa que aprendi foi que se observar uma pessoa por tempo suficiente, independentemente do comportamento dela, você passa a enxergar a pessoa como ela é.

Tem gente interesseira que é um amor com todo mundo até achar alguém que completa melhor suas necessidades e se torna um nojo ou some da vida das outras pessoas com quem era tão gente boa, corta amizades e exclui de sua vida quem ela passa a acreditar que não tem utilidade. Somente porque encontrou alguém que a fazia sentir mais completa. Se algo dá errado, ela volta a falar com todo mundo como se nada tivesse acontecido, recupera sua máscara.

O chato é que conheço muita gente interesseira dessa forma.

Também conheço algumas pessoas que são simples e gentis até ficarem estressadas. Quando isso acontece, um monstro sai de dentro delas e elas podem xingar e ofender qualquer pessoa baseado no quanto elas ganham por mês ou no cargo que elas ocupam.

Acho que elas nunca repararam que são assim de verdade, mas acho que isso sim é a verdadeira personalidade das pessoas.

O preço de ser observador a respeito dessas coisas é que eu também tenho me conhecido melhor e sei quem sou. Meus amigos costumam me mostrar características latentes que eu tenho, mas minha personalidade eu conheço bem e a detesto.

Todo mundo pode mudar quase tudo a seu respeito, mas o caráter de verdade não muda nunca, salvo alguns casos em que uma lesão cerebral te faz virar uma pessoa incapaz de pensar nas consequências de seus atos, incapaz de demonstrar empatia (lesões no lobo frontal do cérebro fazem isso, por exemplo). Mas isso é outro caso de dano permanente.

Poder e apoio soltam a verdadeira pessoa engaiolada pelas regras da sociedade em que vive.

Já vi pessoas que demonstravam ser tolerantes e amigas dos gays, e que após se tornarem evangélicas e passaram a querer queimar vivos todos os gays que conheceram (ou para os mais tolerantes, quererem “curá-los”). Acredito que eles eram contra desde o começo, mas se reprimiam porque tinham um mundo inteiro comandando-os para que fossem assim.

Nós nos projetamos para o mundo exterior da forma que acreditamos que a sociedade precisa nos ver. Se as regras de nossa comunidade mudarem, liberamos mais uma amarra que prende nosso comportamento se necessário, ou acorrentamos uma opinião já existente.

E você, sabe quem é de verdade?

 
 

Tags: , ,