RSS

Arrogância

15 mar

Vamos falar de algo que sempre me incomoda no brasileiro.

Eu meio que falei sobre isso no outro texto sobre humildade, mas agora focarei um pouco no outro lado da moeda.

O maior problema dos brasileiros é essa noção super errada que dinheiro e/ou função definem caráter e valor da pessoa.

Se uma pessoa tem menos dinheiro que você, ela é pobre e você se sente ameaçado com ela por perto, ou ela não interessa para você. Se ela tem mais dinheiro ou fez algo que você nunca fez, ela é arrogante e exibida se demonstra fazer algo que você não faz.

Brasileiros são arrogantes e tem um complexo de inferioridade que dá medo. Isso e a nossa superficialidade natural são o melhor combustível para o abismo social que assola esse país.

Hoje encontramos esses seres em qualquer lugar, qualquer empresa ou qualquer igreja. Independe de cor de pele e origem. Vejo isso quase todo dia. Só não vejo todo dia porque sou um alienado e não interajo muito com gente durante o dia.

Bom, vamos ao ponto antes que o texto fique demasiado longo e tedioso como os outros.

O meu ponto é que não importa se a pessoa é rica, pobre, se é porteiro ou presidente, todos somos um conjunto de carne, ossos e fluidos que pensa e tem funções em sociedade. É muito comum pessoas da limpeza serem vistas como seres inferiores que não estudaram, que não tiveram oportunidades ou que são preguiçosas e não quiseram “ser alguém” na vida.

Essas próprias pessoas se veem como pessoas de classe inferior e mal olham para as pessoas para não as incomodar.

Pessoas que falam um outro idioma ou saíram do país são vistos como seres de sangue azul. Isso é ridículo, qualquer um pode aprender se quiser. Se alguém falar algum termo em inglês perto de você, você não precisa se sentir ofendido, é uma forma de se expressar e não quer dizer que a pessoa se sente superior, e sim que ela conhece um termo numa língua que é mais eficiente do que os nossos para expressar aquilo.

Se você pega alguém importante, como um presidente de alguma grande empresa e dá um banheiro para ele limpar, qual não seria a cara de nojinho que ele faria? Ele limparia a sujeira dos outros de cabeça erguida como nossa faxineira?

Cada um tem sua função, e cada um deveria ter orgulho dela, mas sem jamais desmerecer o trabalho de outros.

Um pedreiro na maioria dos casos é visto como um Zé ninguém aqui que faz “trabalhos brutos porque é ignorante”. Mas se pegar esse mesmo cara e levar para o Canadá, ele fará rios de dinheiro e será super respeitado, porque a sociedade de lá não tem muita gente interessada em trabalhos braçais.

Para quem não acredita, dá uma olhada nesse link que aponta para um divertido texto do Izzy Nobre, vejam o tópico número 6.

Então por que o preconceito? Esse comportamento acontece em qualquer lugar e não é só com faxineiros, se alguém é supervisor, coordenador ou qualquer outra coisa, vemos o comportamento se repetindo e a discriminação rolando solta.

Acho que é um problema com complexos de inferioridade. Se sentem inferiores até poderem dar um passo e compensar a frustração que sentiam, alimentando o ciclo vicioso para todo o sempre.

É possível ser uma pessoa humilde ou um crápula independentemente da quantidade de dinheiro que você tem, seu cargo, etnia ou escolhas da vida.

Sejamos todos melhores, só depende de nós vencer o preconceito.

Anúncios
 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: